• Informe-se
  • Notícias do MPT/AL
  • MPT destina recursos para UTI Virtual e comemora uso da telemedicina no tratamento da Covid-19 em Alagoas

MPT destina recursos para UTI Virtual e comemora uso da telemedicina no tratamento da Covid-19 em Alagoas

Junto à Justiça do Trabalho, Ministério Público reverteu R$ 470.248,02 para Fundação Cardiovascular de Alagoas estruturar serviço; Equatorial Energia e Aloo Telecom também patrocinam iniciativa

Maceió/AL – Consciente da importância dos recursos tecnológicos para o enfrentamento à pandemia de coronavírus em território alagoano, o Ministério Público do Trabalho (MPT) apoia e acompanha de perto as atividades desenvolvidas pelo Hospital do Coração, junto com a Fundação Cardiovascular de Alagoas (Cordial), na execução do projeto “UTI Virtual Covid-19 Alagoas”. Recentemente, a instituição ministerial e o Juízo da 7ª Vara do Trabalho da Capital destinaram R$ 470.248,02 para a iniciativa, que pode salvar vidas e contribuir com a saúde e segurança de profissionais da saúde. 

O projeto trata da implementação do serviço de telemedicina destinado exclusivamente para o auxílio à decisão médica do tratamento da Covid-19 em Alagoas. Faz-se necessário, para tanto, uma estrutura da UTI Virtual que viabilize a realização de atividades de teleorientação, telemonitoramento e teleinterconsulta, de modo a contribuir, à distância, com o trabalho de profissionais intensivistas.

Nesse sentido, a iniciativa facilitará a adoção de condutas com as quais se possa melhorar o mais rápido possível o quadro do paciente; diminuir o tempo de permanência deste nas dependências hospitalares; reduzir os riscos de contágio dos profissionais da saúde de uma forma geral; e disponibilizar mais leitos em razão da possibilidade de cura do paciente internado.

“Idealizamos a proposta há três anos, quando provavelmente era original. Creio que poucos hospitais brasileiros tenham ativado sistema parecido. Nossa UTI Virtual propõe um plantão de vários especialistas, dando suporte conjunto e diário em ambiente único e de linha direta com tecnologia de áudio, imagem e trânsito de exames. Trata-se de uma forma revolucionária de suporte diferenciado de expertos, com provável custo-benefício significativo”, disse o médico Ricardo César Cavalcanti, idealizador e coordenador do projeto.

Entre as metas do projeto, encontra-se o monitoramento de 10 hospitais públicos ou filantrópicos, especificamente das Unidades de Terapia Intensiva (UTI); orientação de, pelo menos, 300 profissionais da saúde que atuarão nos leitos de UTI; e monitoramento de parâmetros da doença de aproximadamente 90% dos pacientes graves internados nas UTIs da rede SUS de Alagoas. O Hospital da Mulher e o Hospital Metropolitano foram as primeiras unidades de saúde a receberem o auxílio da UTI Virtual.

“Resta evidente que o projeto UTI Virtual traz diversas inovações para os serviços de saúde, tendo em vista as tecnologias aplicadas, que possibilitarão maior suporte aos profissionais da saúde que estão atuando na linha de frente do combate ao Coronavírus (Covid-19). Os serviços de teleorientação, telemonitoramento e teleinterconsulta que serão prestados por médicos especialistas por meio da Telemedicina, além de enfermeiros e fisioterapeutas, irão auxiliar nos diagnósticos e na adequação dos tratamentos que possam ser necessários”, explicou a procuradora do Trabalho Rosemeire Lobo, que se manifestou junto ao Juízo da 7ª Vara do Trabalho de Maceió em defesa do financiamento da iniciativa.

Além dos órgãos do Sistema Justiça do Trabalho, as empresas Equatorial Energia e Aloo Telecom patrocinam o projeto orçado em R$ 1.108.926,70. O dinheiro custeará as despesas com estrutura física, equipamentos e software; equipe central de telemedicina; e serviços administrativos, logísticos e de tecnologia da informação. A UTI Virtual terá como sede o Hospital do Coração de Alagoas.

Preparação de profissionais da saúde

No combate da pandemia, a preparação dos profissionais da saúde para a assistência ao paciente com Covid-19 nos leitos de UTIs pode ser decisiva para salvar vidas. O tratamento da vítima do coronavírus exige do profissional conhecimentos específicos, tanto voltados a cuidados com a paramentação e uso de equipamentos de proteção individual quanto a técnicas de manejo das vias aéreas do paciente e estratégias ventilatórias.

Com essa finalidade, a Cordial, em conjunto com o Hospital do Coração, e em parceria com o Governo do Estado, estruturou um treinamento em simulação realística para os profissionais em destaque. A preparação de natureza prática trabalhará ações voltadas à assistência a pacientes graves. Entre elas, estão a verificação de parâmetros fisiológicos e fisiopatológicos no sistema respiratório na Covid-19; a identificação de critérios que definam a gravidade da doença; e a utilização adequada de recursos tecnológico disponíveis para benefício do paciente.

O projeto UTI Virtual Covid-19 Alagoas complementa essa ação, estruturando um serviço de telemedicina direcionado à orientação especializada de profissionais que estão na assistência direta aos pacientes infectados. “Com isso, buscar-se-á a excelência no atendimento ao permitir interação de profissionais especialistas em UTI, infectologia, pneumologia, cardiologia e fisioterapia com profissionais intensivistas, muitas vezes selecionados emergencialmente, e que não possuem experiência em atuação nas UTIs”, informou o projeto enviado ao MPT pela Fundação Cardiovascular de Alagoas.

Os recursos que o Ministério Público do Trabalho e Justiça do Trabalho destinaram para iniciativa fazem parte dos sete milhões de reais reservados para o enfrentamento da pandemia do coronavírus SARS-CoV-2, responsável pela doença respiratória Covid-19, no Estado de Alagoas. O dinheiro tem como origem o acordo judicial que o MPT firmou com a mineradora Braskem S.A. em fevereiro.

Imprimir