• Informe-se
  • Notícias do MPT/AL
  • MPT e Slum discutem incentivo à criação de cooperativa de catadores no Bom Parto

MPT e Slum discutem incentivo à criação de cooperativa de catadores no Bom Parto

Objetivo é buscar a geração de emprego e renda na comunidade e a ampliação da coleta seletiva na cidade

Maceió/AL – O Ministério Público do Trabalho (MPT) e a Superintendência de Limpeza Urbana de Maceió (Slum) se reuniram com catadores de materiais recicláveis do bairro do Bom Parto, no último dia 13 de março, para incentivar a criação de uma cooperativa de reciclagem. O objetivo da discussão é buscar a geração de emprego e renda na comunidade e a ampliação da coleta seletiva na cidade.

A procuradora do Ministério Público do Trabalho Adir de Abreu e o Superintendente de Limpeza Urbana de Maceió, Davi Maia, conversaram com moradores do bairro sobre a importância da criação da cooperativa. Adir de Abreu ressaltou a necessidade da inclusão social e produtiva de catadores, como política adotada pelo Conselho Nacional do Ministério Público ao anunciar a necessidade do encerramento dos lixões.

MPT e Slum se reunem com catadores de materiais recicláveis do bairro do Bom Parto para incentivar a criação de uma cooperativa de reciclagem (Foto: Ascom Slum)
MPT e Slum se reunem com catadores de materiais recicláveis do bairro do Bom Parto para incentivar a criação de uma cooperativa de reciclagem (Foto: Ascom Slum)

“Nosso objetivo é que esses trabalhadores realizem o desenvolvimento social por meio da reciclagem, que compartilhem com sua comunidade a ideia do que é resíduo reciclável e como eles podem gerar renda a partir de um trabalho organizado. Enquanto único catador, o trabalhador fica na mão de atravessadores e não consegue ser enxergado pela sociedade”, disse Adir.

Já Davi Maia, superintendente da Slum, afirmou que o município está empenhado em ajudar na criação de novas cooperativa. “Sabemos que esse é o caminho para melhorar a qualidade de vida desses catadores. Além disso, estamos conversando e explicando como as cooperativas são fundamentais para a ampliação da coleta seletiva porta a porta em Maceió. Hoje, temos 4 cooperativas contratadas pela Prefeitura. Esse processo garantiu uma série de melhoras na vida desses cooperados. E nossa ideia é ampliar, cada vez mais, o número de bairros atendidos”, explicou.

Também participou da reunião a presidente da Cooplum, Maria José, que falou sobre a sua experiência. “Estou me vendo nessas pessoas. O processo de virar cooperativa é assim, com medo e insegurança. Mas hoje, vejo como isso foi bom para a gente. E, agora com a contratação da Prefeitura, conseguimos ter melhores condições de trabalho e o aumento da nossa renda”, comentou.

Incentivo à atividade

Desde 2015, o Ministério Público do Trabalho possui um procedimento promocional instaurado com o objetivo de incentivar e buscar a geração de trabalho e renda por meio do trabalho realizado por associações de catadores de materiais recicláveis de Maceió.

Depois de buscar apoio do MPT, as cooperativas Coopvila, Cooprel Serraria, Cooprel Benedito Bentes e Cooplum assinaram um convênio com o município de Maceió para a implantação da coleta seletiva domiciliar na capital. Com o convênio firmado junto ao município, as cooperativas passaram a receber o devido suporte financeiro para realizar o trabalho.

Com informações Ascom Slum

Imprimir