• Informe-se
  • Notícias do MPT/AL

Em 26 anos, quase 850 trabalhadores foram resgatados de condições análogas à escravidão em Alagoas

Apenas no ano passado, em todo o país, grupos móveis de fiscalização resgataram 2.575 trabalhadores de condições análogas à escravidão; procurador ressaltou que é necessário adotar não apenas medidas repressivas contra a problemática, mas buscar uma atuação preventiva que permita ao trabalhador o acesso a direitos sociais e a outras garantias

Maceió/AL e Brasília/DF – Um levantamento divulgado pelo Ministério Público do Trabalho, na última quarta-feira (25), mostrou que os grupos móveis de fiscalização de trabalho escravo resgataram 2.575 trabalhadores de condições análogas à escravidão em 2022, durante 432 operações realizadas em todo o Brasil. Alagoas não registrou casos de resgate de trabalho escravo no ano passado, mas, em 26 anos – de 1995 a 2021 -, 846 trabalhadores já foram resgatados de situações de escravidão contemporânea no estado.

Imprimir

Atraso de salários: MPT agenda nova audiência com o Hospital Veredas para 2 de fevereiro

Em audiência realizada na manhã desta quarta-feira, 25, coordenador do Departamento de Pessoal do hospital adiantou que parte dos salários de novembro e dezembro começaram a ser pagos

Maceió/AL – O Ministério Público do Trabalho (MPT) agendou, para o dia 2 de fevereiro, às 10h, uma nova audiência de mediação para buscar uma solução que possibilite o pagamento de salários em atraso a empregados do Hospital Veredas. De acordo com informações apuradas pelo MPT, os trabalhadores estariam sem receber os salários de novembro e dezembro do ano passado e não teriam recebido, até o momento, o 13º salário.

Imprimir

MPT instaura mediação para tentar solucionar atraso de salários em empresas de vigilância

Representantes da Tigre Vigilância e da Vital Segurança informaram que estão com dificuldade de pagar salários em dia a cerca de 450 empregados que prestam serviço à Secretaria Estadual de Saúde; nova audiência acontece nesta quarta-feira (25)

Maceió/AL - O Ministério Público do Trabalho (MPT) instaurou procedimento de mediação, na segunda quinzena de janeiro, para tentar solucionar o atraso de salários e 13º salário de cerca de 450 empregados das empresas Tigre Vigilância e Vital Segurança que prestam serviço de terceirização à Secretaria Estadual de Saúde (Sesau). As empresas alegaram que estão com dificuldade de pagar os salários dos empregados em dia porque a Sesau estaria atrasando o repasse de recursos referentes aos serviços de vigilância.

Imprimir

MPT/AL comemora primeira turma de aprendizagem profissional com adolescentes e jovens do sistema socioeducativo de Alagoas

Após ajuizamento de ação civil pública pelo Ministério Público do Trabalho, 10ª Vara do Trabalho da Capital determinou cumprimento da cota de aprendizagem profissional pela Usina Utinga Leão

Maceió/AL – O Ministério Público do Trabalho em Alagoas (MPT/AL) acompanhou, nesta segunda-feira (23), o lançamento da primeira turma de aprendizes formada por adolescentes e jovens do sistema socioeducativo da história do estado, um dos segmentos prioritários da política pública de aprendizagem profissional no país. A iniciativa inédita ocorreu no prédio-sede da Usina Utinga Leão, no município de Rio Largo.

Imprimir

MPT instaura mediação para tentar solucionar atraso de salários no Hospital Veredas

Na próxima quarta-feira (25), procurador-chefe Rafael Gazzaneo realizará audiência com representantes do hospital, de sindicatos dos trabalhadores e da Secretaria Estadual de Saúde para tentar resolver impasse; empregados estariam sem receber salários de novembro e dezembro de 2022, além do 13º salário

Maceió/AL - O Ministério Público do Trabalho (MPT) instaurou um procedimento de mediação, a pedido do Sindicato dos Auxiliares e Técnicos de Enfermagem de Alagoas (Sateal), nesta sexta-feira (20), para buscar uma solução que possibilite o pagamento de salários em atraso a empregados do Hospital Veredas. De acordo com informações apuradas pelo MPT, os trabalhadores estariam sem receber os salários de novembro e dezembro do ano passado e não teriam recebido, até o momento, o 13º salário.

Imprimir